Por que os manguezais fazem a diferença?

25/02/2012 22:46

 


pretende analisar os danos do Novo Código Florestal com uma visão acadêmica.

[24-02-2012] 

Na terça-feira, 28 de fevereiro das 13h às 17h, ocorrerá o evento “Por que os manguezais fazem a diferença?”, que está sendo organizado pelo Centro AcadêmicoIçara, C.A.Içara com apoio de toda comunidade do campus (isso inclui todas as coordenadorias e servidores). A proposta é criar um espaço de reflexão e discussão devido as alterações no Código Florestal aprovadas pela Câmara e pelo Senado,  as quais causarão danos irreversíveis aos ecossistemas costeiros, com destaque ao manguezal.

O evento ocorrerá no salão nobre do Campus Experimental do Litoral Paulista)/UNESP, CLP, localizado na Praça Infante Dom Henrique s/nº, no Parque Bitaru.  Palestras  ministradas pelos próprios docentes especialistas do campus e convidados  abordarão diversos temas, desde as plantas do manguezal até os impactos sociais e ambientais relacionado a este ecossistema. Ao final, todas as informações fomentarão um debate, contextualizando a problemática trazida pelo Novo Código Florestal em tramitação no Congresso.

O manguezal, conhecido como berçário natural, não leva este título a toa. Ele é abrigo e alimento para muitas espécies de animais de pequeno e grande porte, marinhas e terrestres, de importância econômica, ecológica e social. São também fonte de renda para milhares de brasileiros. Protegem da erosão costeira e da ação de eventos climáticos  extremos.

Uma das principais implicações da polêmica sobre este Novo Código é a previsão  de novas ocupações, além  da consolidação as antigas na área deste rico ecossistema. Tal fato acarretará no avan - por: ço da carnicicultura, atividade que gera inúmeros danos socioambientais. E o manguezal será cada vez mais reduzido.

O evento foi  motivado pela campanha nacional #manguefazadirefenca que conta com a coordenação nacional da Fundação SOS Mata Atlântica e apoio de diversos movimentos sociais e ambientais. O C.A. Içara  convida todos os estudantes da Baixada Santista e a população interessada para articulação de ações  posteriores Contamos com sua presença e voz!

Danielle Almeida de Carvalho

fonte: http://www.clp.unesp.br/#N,13